Palestras Presenciais – 1 a 15 – 21º Congresso Internacional de Trilogia Analítica

1. A Beleza, Consciência e Ações na Educação

Luciara Batista Avelino e Gislaine Maria Lyyra

Para a filosofia moderna e contemporânea, a consciência não é somente estar ciente dos próprios estados, ideias, sentimentos e escolhas, mas o reconhecimento da realidade de interioridade. René Descartes, com sua filosofia do “penso, logo existo”, ligou a consciência ao pensar estrito e rigoroso. Na Psicanálise, Freud tratou quase exclusivamente do Inconsciente.

Estudos recentes mostram a consciência como um estado particular de um processo apenas biológico. Assim, nascem muitas teorias reducionistas sobre a consciência na atualidade. A cibernética, do séc. XX, iniciou o processo da filosofia especulativa da atual inteligência artificial, que tenta decodificar a diferença entre inteligência e consciência. Se tudo é quantificável, tudo é inteligente, e se tudo é inteligente, a consciência não existe. Na contracorrente, Norberto Keppe ilumina o conceito da consciência mostrando que ela é a total percepção da realidade (interna e externa), a qual resulta na unificação do amor, da inteligência e da ação; e inclui a percepção do certo e do errado, de atitudes psicopatológicas e da verdadeira realidade (bondade, beleza e verdade), sendo o fator fundamental do homem em seu contato com a transcendência.

Para ele, a doença é a negação da saúde que está na base do indivíduo. A preguiça, a negação da ação. O ódio, a negação do amor e assim por diante. A sanidade está na base, esperando a consciência para se chegar a ela. Assim, as virtudes assumem uma grande importância, já que o bem é subjacente e parte constituinte da base da personalidade do indivíduo, esperando a consciência para se chegar a ela. Apesar de serem valores internos natos, têm que ser desenvolvidos, por isso o ambiente é de fundamental importância. Quais são as virtudes imprescindíveis que pais e escolas devem ensinar?

– O afeto que envolve a gratidão e o reconhecimento do bem na vida, nos outros e em si mesmo; – A ética, pois a verdade é o cerne do bem;

– A ação no sentido da perseverança e empenho desenvolvendo as virtudes;

– A estética elevando o ser humano para além do cotidiano da vida dele;

– O autoconhecimento fazendo com que a pessoa evite a negação de si mesma ou a megalomania;

– A paz – necessidade de lidar com nossa raiva e medo para termos compaixão, empatia, equilíbrio emocional e humildade.

O sistema educacional precisa criar métodos para incentivar o aluno a desenvolver suas qualidades e resgatar os elementos bons subjacentes de nossos seres.

Palavras-chave: Consciência, Educação, Virtude

 

2. A Consciência da Beleza na Moda

Päivi Tiura

O trabalho tem como objetivo discutir a importância da consciência na moda. Antigamente, as Casas de Moda tinham o objetivo de levar a beleza para as pessoas, orientando-as. A Mídia ajudou a espalhar as visões dessas Casas de Moda com elogios, críticas, comentários, divulgações, entrevistas, filmes, propagandas etc. Cada pessoa as implementou e adaptou de acordo com suas possibilidades.

Os desfiles de moda seguiram as quatro estações: primavera, verão, outono e inverno, e a beleza e a elegância ocupavam um lugar de destaque. Não havia nenhuma dúvida sobre isso. Depois, tudo mudou. Olhando a moda nos dias de hoje, não podemos falar nem da elegância, nem da beleza.

Dizem que a moda é o espelho da sua época, e o que acontece no mundo da moda agora? O sorriso desapareceu dos manequins e suas poses mudaram: tornaram-se provocativos, indisfarçáveis ou melancólicos. Mudou algo em nosso mundo? Sim, embora na ocasião não tenha sido tão óbvio, a mudança forte já havia acontecido, principalmente em valores sociais.

A chamada “liberação sexual” levou a um comportamento descontrolado. Aconteceu o distanciamento dos valores, o despertar das mulheres para a desigualdade social, o aumento do uso de bebidas alcoólicas e drogas, e a colocação de todo tipo de liberdade como o maior valor da sociedade, juntamente com o despertar social e, ao mesmo tempo, a difusão do esquerdismo passaram a se refletir ou influenciar também no mundo da moda, no modo de se vestir.

Palavras-chave: Elegância, Feiura, Ressonância.

 

3. A Consciência do Self

Regiane Cristina Palmeira Silva

Venho notando o quanto a conscientização é o processo primordial para a identificação da inversão em muitas patologias. Tenho observado em meus clientes de acupuntura, por exemplo, que o feedback (que na grande maioria dos casos é positivo) começou a ocorrer de uma maneira mais rápida quando comecei a aplicar a conscientização do Dr. Keppe junto às sessões de acupuntura. Além do uso de um mecanismo físico/material, podemos assim dizer, que são as agulhas, laser ou sementes em locais específicos, segundo as queixas apresentadas, notei que o ajuste no processo mental, energético e até mesmo orgânico celular, trabalham em conjunto quando o indivíduo percebe, conhece e/ou aceita, o seu Self e percebe que todas suas respostas, dores, doenças e até mesmo a cura estão ali mesmo, dentro dele e não fora, como ocorre na maioria das vezes (família, vizinho, trabalho, país, governo etc.). Então, inicialmente o cliente passava por 10 sessões intercaladas semanalmente; após o incentivo à conscientização durante as sessões, obtive ótimas respostas em apenas 05 sessões intercaladas. Nos dias de hoje, para mim, ficou mais acessível saber e ver minhas próprias inversões e conscientizações, e sendo assim, também consigo melhor perceber e orientar ao próximo, não apenas ao cliente. Na maioria dos casos, sei que 03 sessões são suficientes para que esse indivíduo possa usufruir de uma vida com mais contato à sua essência, sem muitos conflitos, e acreditar na imagem e semelhança com seu Criador.

Palavras-chave: Acupuntura, Conscientização, Felicidade, Inversão.

 

4. A Energética Pode Resgatar a Moda

Adriana Silvério

Na Ciência da Energética de Keppe, estudamos o conceito de ressonância, em que a fonte emissora prin-cipal é o Ser Divino, que emite a energia essencial (escalar), criando e sustentando todo o Universo. Cada elemento da natureza física ou transcendental funciona como um pequeno rádio que se sintoniza com a fonte em uma vibração característica. Assim, toda a Criação, em sua beleza pujante, está em ressonância, sintonizada com o Criador. Porém, os seres humanos, devido a sua conduta patológica, principalmente a inveja, saem desta ressonância, entrando em um estado de entropia ou deterioração. Em outras palavras, o que sai da ressonância, fica feio.

Um reflexo desta perda de ressonância com o Criador está na moda, que já não cumpre a sua função de trazer a estética no vestir. São vários os fatores: 1) os fabricantes, que colocaram o dinheiro acima da estética; 2) os estilistas, que criam com base em suas próprias ideias, distantes da realidade; 3) as mulheres, principalmente, que se deixaram levar pela vaidade e narcisismo, explorando a beleza para o próprio engrandecimento; 4) a mídia e outras agências especializadas, que manipulam ideias para controlar as pessoas. Mas a moda é a manifestação desta ressonância dos seres humanos com Deus.

As formas e as cores são energia. Os estilistas, com as suas criações, têm em suas mãos a chance de expressar esta ligação entre os seres humanos e Deus, enaltecendo a energética feminina e masculina. Embelezar-se é um ato de gratidão a Deus e louvor à vida. A consciência desta patologia e o estudo da moda sob a ótica da energética, levará ao encontro com a verdade, à reconexão com Deus e finalmente ao resgate da beleza na arte do vestir.

Palavras-chave: Inveja, Moda, Ressonância.

 

5. A Energia da Consciência

Zoé das Graças Feitosa, Kelly Crystine Filipake de Brito e Ester Pereira Gusmão

Neste trabalho, falamos de como a população adoece por não ter consciência da patologia psíquica individual e social. A definição de Saúde, segundo a OMS, seria bem-estar físico, psíquico e social, mas, na prática, o que presenciamos é um sistema que vê o ser humano dividido como um quebra-cabeças, com dificuldades de juntar as peças, completamente dividido.

Profissionais de saúde e pacientes, sem perceber, colaboram para que esse sistema patológico seja alimentado dia após dia. Podemos dizer que o que era para estar “curando”, está ajudando o ser humano a se extinguir rapidamente. Portanto, Dr. Norberto Keppe diz que a saúde é sinônimo de vida, consciência, essência, realidade e existência.

A doença não existe por si: ela é a negação, deturpação ou omissão da consciência da realidade, fazendo com que o fluxo energético no corpo seja interrompido, bloqueando a Energia Essencial/Escalar. Sem conhecimento intuitivo, psíquico, muito pouco se consegue penetrar na origem da doença. A medicina tradicional tem dado foco nos sintomas físicos, desconsiderando a essência psíquica, perdendo grande percentual da sua função diagnóstica e curativa.

Os pacientes querem contato, esperam do médico um ombro amigo, onde possam relatar seus sentimentos mais íntimos. Por estar invertido, o sistema socioeconômico causa muito estresse psicológico, sendo uma das principais causas de adoecimento do ser humano. Keppe afirma que a pessoa só pode ter o bem que realiza, e o mesmo acontece com a saúde psíquica e física, na ação, nos sentimentos e pensamentos.

Palavras-chave: Consciência, Consumo de medicamentos, Patologia, Somatização.

 

6. A Expressão Artística como Estratégia de Cura

Maria Silvia Eisele Farina

A proposta deste artigo é mostrar o papel da arte como cura no indivíduo, através do fazer artístico, e a
importância dela na vida do ser humano. A arte é a fonte Divina de Energia. Ela se apresenta em tudo que nos envolve. A arte transforma a maneira de imaginar e entender o mundo. É a expressão máxima, no ser humano, da sua criatividade, seu interior, história e cultura, através de valores estéticos, beleza, harmonia e equilíbrio. A arte se manifesta através da música, escultura, pintura, cinema, dança, teatro, fotografia e escrita. Segundo Kandinsky, a obra de arte deveria expressar algo interior, sem necessidade de comunicar mensagem alguma; ele foi o pai da abstração, quando o figurativo perderia temporariamente seu lugar. Homem e arte interagem de forma única, facilitando o papel de cura, quer seja pela contemplação, quer seja pelo fazer artístico. Existe uma mobilização para a esfera Divina.

Há uma cumplicidade nas ações de ver/sentir a arte e a do fazer artístico, que transformam emoções e sentimentos, proporcionando para a alma a liberação de amarras que a impedem ao autoconhecimento e à consciência individual. O poder de cura pela arte está também no processo do fazer, do atuar, do redigir, do coreografar, do compor. As produções artísticas servem para falar sobre os universos pessoais dos seus autores.

Palavras-chave: Arteterapia, Autoconhecimento, Consciência, Criatividade, Cura.

 

7. A Importância de Conscientizar a Psicopatologia e a Sociopatologia na Empresa: Relato de Experiência

Andrea Figueiredo

Este trabalho visa apresentar a importância do estudo da psico e sociopatologia nas microempresas. No país, várias microempresas são abertas diariamente; entretanto, a maior parte delas fecha com menos de 5 anos. Os principais motivos apontados pelas pesquisas estão relacionados com a falta de conhecimento, planejamento, estratégia e desemprego. Mas esses estudos não levam em conta a influência exercida pela estrutura social, política e econômica doentia, que alimenta a psicopatologia do empreendedor. Trago o meu próprio case, em que a consciência e a interiorização através da análise e estudo da Trilogia Analítica foram essenciais para recuperar e manter a empresa saudável, mesmo com dificuldades sociais tão desafiadoras, como, por exemplo, durante a pandemia.

Palavras-chave: Empreendedorismo, Microempresa, Psicopatologia

 

8. A Negação da Beleza Divina no Materialismo Científico de Charles Darwin

Gabriela Lourenço Leviski

O trabalho tem como objetivo explorar a influência da psicopatologia (inversão) de Charles Darwin em suas teorias, amplamente difundidas na obra intitulada “A Origem das Espécies”. Charles Darwin (1809-1882) foi um naturalista inglês famoso por sua Teoria da Evolução, que buscou explicar a origem da vida através da ancestralidade comum e da seleção natural, refutando o criacionismo e, consequentemente, a obra divina da criação da vida. As ideias invertidas de Darwin influenciaram não somente a área das ciências naturais, mas também a economia, a sociologia, a psicologia, a medicina, algumas crenças religiosas e diversas outras áreas da civilização.

Segundo Norberto Keppe, Charles Darwin foi precipitado ao “formular sua ideia evolucionista com apenas cinco anos de observação; como decorrência, imaginou que as espécies animais variavam no tempo e não por causa das condições ambientais e, o mais importante ainda, às mínimas alterações que notou (que podemos até denominá-las de acidentais) deu valor de transformação total, a ponto de acreditar ser possível passar de uma espécie para outra” (Norberto Keppe, O Reino do Homem).

Sua megalomania é comprovada pelas rápidas deduções que teve em tão pouco tempo de observação, rejeitando a verdade, beleza e bondade diante de seus olhos. Darwin negou a criação divina, refutando-a completamente, embora diante de um lugar paradisíaco e cheio de beleza e perfeição, como a Ilha de Galápagos. Devido à inveja (cegueira), Darwin não via a beleza da natureza como uma dádiva e uma comprovação científica da existência de Deus, e sim apenas como um fator material para a proliferação dos seres, negando e deturpando fortemente a percepção da realidade.

Em seu delírio invertido, Darwin acreditou que seria o detentor da resposta sobre a origem da vida e, com isso, fez ataques ferozes a Deus e à Beleza da natureza, revelando sua teomania e inveja, que o distanciaram completamente da percepção de que a criação só seria possível através de um Criador, pois a Beleza, a Bondade e a Verdade antecedem qualquer manifestação de vida.

Palavras-chave: Beleza, Charles Darwin, Criacionismo, Energética, Evolucionismo.

 

9. A Origem da Festa do Divino e sua Expressão no Brasil

Claudia Pio Batista, Michelle Alves, Ingrid Barreiro, Pedro Paulo Monteiro, Renata Cristina Macedo

A Festa do Divino é uma tradição histórica que celebra a união entre os povos e a chegada da Era do Espírito Santo. Teve início em Portugal, no final do século XIII. Em meados do século XIX, passou a ser chamada de Festa dos Tabuleiros. O Culto ao Divino Espírito Santo, realizado desde o início do século XIII pelos Franciscanos, começou no Domingo de Páscoa, por iniciativa da Rainha Santa Isabel, propagando-se às Confrarias do Espírito Santo. Traz até os dias de hoje alas como: Procissão das Coroas e Pendões do Espírito Santo, Cortejo dos Rapazes, Abertura das Ruas Populares Ornamentadas, Cortejo dos Mordomos, Cortejo parcial dos Tabuleiros, Exposição de Tabuleiros, Jogos Populares, Procissão das Coroas e Pendões do Espírito Santo, e, por fim, a Distribuição da Pêza, ou Bodo.

Trazida pelos colonizadores no século XVI, conecta o passado histórico de Portugal, até os dias de hoje, ao do Brasil, onde a celebração ocorre em todas as regiões. Na região Sudeste, nas cidades de São Luiz do Paraitinga – SP e Paraty – RJ, a festa é marcada por intensa devoção e rica musicalidade. Já na Região Sul, em São Lourenço do Sul – RG, o ponto alto da celebração é a coroação da Rainha com uma Coroa de Prata. Em Pirenópolis – GO, no Centro-Oeste, a Festa foi reconhecida pelo IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Por sua vez, na região Norte, em Natividade – TO, a tradição religiosa portuguesa é mantida desde 1904 através da resistência aos desafios contemporâneos e cooperação da comunidade, que, no Nordeste, aparece também em Brotas de Macaúbas e ainda introduz novos costumes. Já em São Luís do Maranhão, mulheres caixeiras em terreiros de tambor de mina imperam com complexos rituais. Todas as festas apresentam sincretismo singular e são importantes manifestações da religiosidade popular.

A celebração do Divino em Minas Gerais teve início no final do século XVII e se difundiu por diversas cidades da região, apresentando similaridades. O cortejo é constituído por diversas alas, que incluem Estandartes, Folias do Divino, Rei e Rainha e cavalgadas. Geralmente ocorre no período de Pentecostes, durando de 2 a 10 dias. A coordenação das festividades é realizada por comissões de festeiros, associações ou pela Igreja Católica.

O povo, com suas inúmeras representações, é convidado a participar de toda a festividade. Durante as celebrações, são partilhadas refeições como o bodo. Desde 2004, a Associação Stop a Destruição do Mundo promove a festa em Cambuquira-MG, que atrai visitantes de todo o Brasil e do mundo.

Palavras-chave: Cambuquira, Festa do Divino, Memória, Quinto Império, Patrimônio Cultural.

 

10. A Psicossocioterapia e a Moeda Social (Repercussões no Brasil)

Maria de Lourdes Morais

O objetivo do trabalho é mostrar como o uso da Moeda Social propicia uma psicossocioterapia, ou seja, melhora psiquicamente seus usuários, e socialmente a vida comunitária. Justificativa: não só no Brasil, mas em muitas nações, não há emprego para todos, e o sistema já é planejado assim.

A permanência de pessoas na inatividade causa grande desequilíbrio para elas e para a sociedade, pois, conforme Norberto Keppe, a saúde vem da ação, do trabalho, e as doenças psíquicas e sociais da inação (gerando problemas pessoais, familiares, comunitários e maiores gastos governamentais no setor da saúde). Assim, chamamos a atenção de indivíduos e instituições, que organizam os setores da sociedade, para o uso da Moeda Social, como um dos instrumentos capazes de propiciar uma psicossocioterapia e o bem-estar social. Para apresentar este estudo, utilizamos a pesquisa bibliográfica, principalmente os livros de Norberto Keppe: A Libertação dos Povos – A Patologia do Poder, e Trabalho & Capital, além da obra ABC da Trilogia Analítica (Psicanálise Integral), de Cláudia B. S. Pacheco.

Utilizamos também nossas pesquisas bibliográficas e de campo contidas em nosso livro ‘Psico-Sócio-Terapia e a Moeda Social’, bem como em nosso artigo ‘Caminhos Criativos da Economia Cotidiana’. O uso das Moedas Sociais, no mundo inteiro, tem demonstrado geralmente bons resultados, trazidos pelo engajamento no trabalho de pessoas que antes estavam inativas, com reflexos positivos para elas e a comunidade onde vivem. Em Cambuquira-MG, o uso da Moeda Social Trino, criada pela Associação STOP a Destruição do Mundo, aliada aos princípios da ciência trilógica, tem trazido bons resultados, que serão explanados no ICAT. Com o acompanhamento do avanço das regulamentações das Moedas Sociais e Bancos Comunitários no Brasil, teríamos a possibilidade de cada município, ou bairros com mais dificuldades (se houver conscientização) aproveitarem os benefícios da Moeda Social.

Palavras-chave: Moeda Social, Psicossocioterapia, Economia, Bem-estar Social.

 

11. A Realidade Carcerária do Terceiro Milênio; Um Presídio Versus um Jardim

Sonia Teresa Guillen

Este trabalho apresenta um novo paradigma do Direito Penal, que restitui o jus puniendi, do Estado, pelo jus civilis ou Direito Civilizatório, que é um Direito Conciliatório. Revisa os conceitos de justiça punitiva, retributiva e restaurativa, que legitima o Poder de Punir do Estado, a Pena como consequência à violação da norma jurídica e imposta pelo marco Espaço-Temporal, e a Ressocialização do apenado. Fundamenta na Teoria da Violenta Vontade do Poder a necessidade de um novo conceito jurídico-criminal que trate o ser humano de forma integral, um ser atrelado ao Divino, motivo pelo qual não pode ser aplicado o castigo pelo pressuposto de um fato delitivo tal e como considera a teoria positivista atual, sem antes restabelecer a sua essência como ser humano universal, que perpassa primeiramente pela sua cura através da consciência como ser Humano e Divino. Desse modo, a ciência criminal não pode somente ser entendida sob a fonte da lei da razão, predestinada a ser falida, e natimorto o porvir civilizatório integral do ser humano que, hodiernamente, já é escravizado pela disposição ao totalitarismo econômico do sistema capitalista do Estado Moderno.

O novo paradigma de justiça penal implica fazer realidade o Princípio da Dignidade da Pessoa Humana, conhecer inicialmente as causas que provocam a conduta desequilibrada e negacionista do paciente, pragmatizar um sistema econômico que ative a participação e a produtividade por intermédio do trabalho, fomentando valores e virtudes fundamentais do ser humano e de uma sociedade saudável. É entender o Ser Humano como um ser integral, que se coloca na práxis para o bem da sociedade e da Humanidade.

Palavras-chave: Cura pela Consciência, Justiça Civilizatória, Justiça Punitiva, Teoria da Violenta Vontade do Poder.

12. A Restauração da Beleza Através dos Ideais Trilógicos

Selma Genzani

O tema abordado objetiva mostrar como a implementação dos ideais da Trilogia Analítica proporcionam a restauração da beleza essencial, tanto a nível individual como na sociedade. A beleza é parte integrante do tripé que forma a natureza humana (e social), a partir da energética que emana do Criador. Com o afastamento de sua essência original, boa, bela e verdadeira, o ser humano, além de decair espiritualmente, adoecendo psíquica e fisicamente, organizou uma sociedade igualmente doente e de valores invertidos.

Na busca de entendimento das razões da problemática e restauração do bem-estar como um todo, o cientista Norberto Keppe fez várias descobertas fundamentais, tais como a necessidade: de unificação dos campos da teologia, filosofia e ciência, para que possa existir o verdadeiro conhecimento; do fim da exploração do homem pelo homem para que haja o saneamento no campo de trabalho; de conscientização da inveja e da inversão como base da problemática humana; de conhecimento da patologia do poder econômico gerando os malefícios sociais; da interioridade como base da sanidade, segundo explica Cláudia Pacheco em História Secreta do Brasil.

Através de propostas práticas, a Ciência Trilógica muito tem a contribuir no campo do equilíbrio do ser humano, através do resgate da espiritualidade, da justiça social, da forma de organização do trabalho e da moradia, da preservação da natureza, do conhecimento universal e da transdisciplinaridade, e da importância das artes como fundamento da verdadeira civilização.

A humanidade tem de perceber que está começando agora uma reversão em toda a estrutura psicossocial, tornando impossível qualquer continuidade no atual estado de inversão, que tanto castigou os seres humanos e países. Estou tentando mostrar que tudo o que foi realizado, principalmente a ciência moderna, foi efetuado de maneira invertida, incentivando os elementos inferiores e abafando os verdadeiros (Keppe, Trilogia Analítica, pág. 9). Como Keppe explica, a interioridade, o conhecimento profundo do próprio interior, leva automaticamente ao contato e à usufruição da Beleza, Verdade e Bondade do Ser Supremo (HSBr, Pacheco, pág. 192). A restauração da beleza, essencial para o equilíbrio humano, será feita especialmente através do processo de conscientização da psicossociopatologia, largamente abordado na obra de Norberto Keppe, e com aplicações em todos os campos do conhecimento humano, promovendo a melhoria da qualidade de vida do ser humano deste planeta.

Palavras-chave: Beleza, Conscientização, Ideais Trilógicos, Restauração.

 

13. A Descoberta da Beleza da Consciência no Tratamento da Dependência Química

Eunice Campos Silva de Avelar e Leda Maria Arakaki

Este trabalho visa demonstrar que a ciência Trilogia Analítica, através do uso da psicanálise integral, é um diferencial importante para auxiliar no tratamento da drogadicção.

A Trilogia Analítica é uma ferramenta psicoterapêutica inovadora no tratamento da dependência química, já que trata os aspectos emocionais, analisando-os sob a luz de conceitos diferenciados sobre a psicopatologia humana, como a inversão, a inveja e a espiritopatologia. De modo inédito e corajoso, defende a importância da espiritualidade no processo de cura dessa doença e traz à tona disfunções familiares mais profundas do que só a codependência.

Aborda temas ocultos e delicados para o adicto e para os próprios familiares, como, por exemplo, os pactos. Essa ciência entende que o desconhecimento das questões emocionais são os fatores mais relevantes para tratar os agentes causais da doença. Através da técnica psicoterápica integral, baseada na associação de ideias; o adicto reconhece as próprias emoções que estavam escondidas, como a raiva, o medo, e a inveja, entre outras mais.

Descobre a censura (dificuldade em admitir os seus aspectos negativos), a inversão (percepção invertida da realidade), os pactos existentes, e como as suas atitudes trazem consequências na dimensão espiritual, a espiritopatologia. Há o despertar da consciência verdadeira e não meramente um processo de racionalização ou obtenção de conhecimentos. Isso ocorre quando o adicto “sente” a dor de suas atitudes nefastas quando na adicção, se arrepende e se coloca em ação para contrapor esses atos ruins. O processo de conscientização demanda obrigatoriamente uma ação; caso contrário, terá sido uma racionalização.

O Homem faz exteriormente o que realiza no próprio íntimo. Então, o que o indivíduo pensa é demonstrado no seu comportamento, pois a conduta revela o interior. A conscientização permite ao adicto perceber a maldade que ele cultivava em seu interior, e religar-se aos valores inatos e latentes, como a bondade, a beleza e a verdade. À medida que o adicto se religa ao seu universo interior, há um despertar da beleza, da verdade e afeto que se encontravam adormecidos, fazendo desabrochar “a beleza da consciência”. Paralelamente, ocorre a ampliação do entendimento do que seja o belo, ou “a consciência da beleza”.

Palavras-chave: Adicção, Censura, Conscientização, Dependência química, Inversão.

 

14. Ação no Bem: O Brincar

Maria de Fátima Moreira

O brincar é o principal meio de aprendizagem da criança. Através do brincar, ela aprende a discriminar, analisar, imaginar, gostar etc. A educação psicomotora é a ciência do corpo e da mente. Através de técnicas favoráveis, trabalha-se o corpo relacionando-o com a afetividade, o pensamento e a inteligência. É através das brincadeiras que a criança aprende o que é dela e o que é do outro, o que é bom e o que é ruim, o que é respeitar e ser respeitado, o que é o eu e o que é o outro; enfim, a criança desenvolve sua espiritualidade. No entanto, as nossas crianças acabam sendo robotizadas em nossa sociedade atual. Desde tenra idade, estão sendo introduzidas num mundo fantasioso e ilusório, através dos aparelhos eletrônicos, precisamente o celular.

Vemos as crianças tolhidas em sua espontaneidade, movimento e criatividade. Com a ajuda da ciência Trilogia Analítica é possível conscientizar os pais, professores e as pessoas em geral a observar esses fatos, que estão levando à perda da infância, e turvando a magia do brincar, do sentir, do correr, do cair e levantar, do sorrir, do chorar, do insistir, do acertar.

Os pais, brincando com as crianças, fazem com que elas se sintam seguras e amadas, pois têm os pais como modelo a imitar, e a relação e o compartilhar aproximam pais e filhos. A ciência Trilogia Analítica tem muito a contribuir com este setor do brincar, pois nos leva a perceber que tanto os sentimentos, os pensamentos e a beleza são vivenciados na harmonia dos movimentos, nas vibrações das brincadeiras, nas cantigas de roda, no emergir das regras, nos limites, no companheirismo, na confiança, que só as brincadeiras em si despertam, em contrapartida com os eletrônicos, que desenvolvem condições favoráveis para a obesidade, apatia, contração e solidão.

Palavras-chave: Brincadeiras, Consciência, Crianças, Infância.

 

15. Aplicação De Conceitos de Psicanálise Integral em Estudos de Casos em Atendimento Pré-Hospitalar

Barbara Gambier

O trabalho constitui-se basicamente na análise de 3 estudos de casos, abordando temas como: megalomania, censura, inversão. São casos de atendimento realizados por meio do serviço SAMU e APH (atendimento pré-hospitalar). Primeiro caso clínico: dor abdominal. Segundo caso clínico: surto psiquiátrico. Terceiro caso clínico: dor torácica. Em todos os casos foram levantados os aspectos de inveja, censura e projeção, conceitos amplamente abordados na Ciência Trilógica pelos Doutores Norberto Keppe e Cláudia Pacheco.

Palavras-chave: Censura, Inveja, Projeção, Psicossomática.

Receba as Novidades

Em seu e-mail ou por WhatsApp, receba conteúdo exclusivo: boletins de conteúdo, palestras, artigos, lançamentos, etc. Somente a Keppe & Pacheco enviará as mensagens, garantindo que os interessados recebam conteúdo confiável e de qualidade.

plugins premium WordPress Pular para o conteúdo