Norberto Keppe* Extrato do livro A Medicina da Alma

Quero apresentar uma relação de tipos de personalidades doentes, já no sentido psiquiátrico, a fim de que compreendam a conduta de muitos indivíduos que agem, por vezes, de modo estranho.

Paranoia

A paranoia está classificada entre as doenças mentais, sendo grande o número de indivíduos acometidos pelos seus sintomas. A sociedade conta, infelizmente, com esses doentes, sem se dar conta de sua periculosidade. Geralmente têm um convívio social aceitável, não raras vezes de importância. São extremamente inteligentes e usam sua capacidade para fins escusos ou úteis. Não são casos de internação, a não ser que apresentem crises (na esquizofrenia paranoide), mas criam dificuldades com as pessoas com as quais convivem.

Enquanto o paranoico não exerce cargo de responsabilidade, como o da direção de um país, por exemplo, poderá mais ou menos adaptar-se. Mas quando sobe na escala social, as projeções que faz se encarregam de tornálo nocivo. E realizam seu papel, enganando os outros. Um Adolf Hitler, na Alemanha (país com um povo culto), conseguiu enganar a todos por muitos anos. Somente no final, quando a situação era completamente caótica, é que perceberam toda a extensão de sua doença.

Compulsividade

O indivíduo compulsivo, de modo geral, é chamado também de psicastênico, obsessivo, escrupuloso ou anancástico. Nele predomina a dúvida, o temor e as compulsões (ações que não consegue dominar).

A compulsão é chamada de neurose, porém o tratamento analítico nem sempre é eficaz, podendo ser classificada, em parte, como doença mental. Todos nós temos nossas dúvidas e temores, porém o compulsivo as tem em número maior e de modo mais imaginário. Por exemplo, havia determinado aluno da Faculdade de Medicina com fobia às bactérias (bacteriofobia). Pois bem, toda verdura deveria ser cozida por dez minutos para perder suas bactérias, mas, depois desse tempo, o seu valor alimentício seria nulo. Deste modo, ele caía numa eterna dúvida, emagrecendo cada vez mais. (Nota: O fato dele estudar medicina já é bastante significativo, como os leitores poderão observar.)

Hipocondria

A personalidade hipocôndrica é típica no indivíduo que tem verdadeira mania de doença. No entanto, ele próprio não acredita nos seus sintomas. A Psicanálise encontrou neste tipo de personalidade muitos sentimentos de culpa, motivo pelo qual procura se mostrar doente, para saná-los. Certa senhora, que conheci em Viena, queria por força ter um câncer. Visitava novos médicos todas as semanas e os criticava, quando afirmavam sua sanidade. Esse fato aconteceu, depois do falecimento do marido, que tratou muito mal em vida. Casos assim são muito comuns dentro dos anais da psiquiatria.

Penso que nessa lista estão os principais tipos de personalidades patológicas, no sentido psiquiátrico, como já falamos no início. Nós os descrevemos de modo bastante superficial, mas tentando dar exemplos como eles agem. Talvez assim possa ser de alguma utilidade para os que desejam uma informação rápida.

*Norberto Keppe: Psicanalista, filósofo, cientista social, pedagogo e físico independente, autor de 44 livros, fundador e presidente da SITA – Sociedade Internacional de Trilogia Analítica, que unificou a ciência à filosofia e teologia.

Gostou deste episódio?

Compartilhe

WhatsApp
Telegram
Facebook
LinkedIn
Twitter
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba as Novidades

Em seu e-mail ou por WhatsApp, receba conteúdo exclusivo: boletins de conteúdo, palestras, artigos, lançamentos, etc. Somente a Keppe & Pacheco enviará as mensagens, garantindo que os interessados recebam conteúdo confiável e de qualidade.

plugins premium WordPress
Abrir WhatsApp
Dúvidas? Fale Conosco
Olá!
Dúvidas? Nossa equipe está pronta para atender você!
Você concorda com nossa Política de Privacidade para continuar a falar conosco.
Pular para o conteúdo